segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Mary Parker Follett - A profetisa do gerenciamento

Mary Parker Follett nasceu em Quincy, no ano de 1868, e foi uma autora norte-americana que ficou conhecida como a “profetisa do gerenciamento”. Formou-se em filosofia, direito, economia, serviço social e administração pública.



Como cientista política, assistente social nos anos 20, afirmava que ninguém pode nos dar a democracia, devemos aprender a democracia. Ela dizia que ser democrata é aprender como viver com outros seres humanos. Para ela o indivíduo não é parte do todo, nem uma peça na máquina, nem tampouco um órgão dentro de um organismo; é de um ponto de vista do Todo, ele mesmo.


Follett usava o conceito de grupo com o significado de associação sob a lei da interpenetração. Suas idéias de construção da cidadania são tão avançadas que, publicadas em 1920 sob o título The New State – Group Organization The Solution of Popular Government, são hoje consideradas futuristas e ela está sendo nomeada mundialmente como a profeta do gerenciamento.


Ela sustenta que a organização moderna precisa, acima de tudo, de pessoas capazes de se unir, não das que se unam sem atritos, mas que possam fazer uso de sua união. Destaca que o indivíduo de negócios bem sucedido de hoje é aquele de inteligência cooperativa treinada. Ela afirma que o mundo deposita um grande valor no indivíduo que é capaz de participar de uma reflexão coletiva e de ações unificadas, havendo posições mais altas oferecidas a ele na empresa e no campo político.


Follett usa o conceito de grupo com o significado de associação entre pessoas, sob a lei da interpenetração. Para Follett, em sua natureza, todas as instituições estão latentes e, necessariamente, devem ser adaptadas a essa natureza. Segundo ela, o ser humano, não as coisas, deve ser o ponto de partida para o futuro. Para ela, um cidadão é alguém que ajuda a realizar o propósito para que esta nação exista. Follett afirma que o cidadão deve também ajudar a criar o propósito.


Follett trata dos seguintes assuntos: Como liderar conflitos? É possível prever conflitos? O que são conflitos construtivos?


Follet foi a primeira estudiosa a introduzir o conceito de circularidade na interação dos seres humanos. E o que é a resposta circular? Ela afirma que as relações entre as pessoas estão em constante modificação, que o simples contato entre duas pessoas que se relacionam já altera a forma como cada uma vê uma questão. Ela propõe que há influências recíprocas e que cada nova percepção ao ser recebida irá alterar a forma como pensa, num ciclo contínuo.


E o que é o conflito construtivo? Follett afirma que existem três soluções possíveis para um conflito, seja ele percebido a priori – que é o chamado conflito construtivo – ou a posteriori – que é o conflito danoso. Follett afirma que as divergências são importantes porque revelam uma diferença de opinião que cedo ou tarde se manifestará, de forma danosa ou não.Quais são as três soluções?


A primeira solução seria a DOMINAÇÃO onde somente um dos lados terá suas exigências atendidas, e assim, o conflito será sufocado. A segunda solução diz que os dois lados cederão e um meio-termo será adotado como solução. A CONCILIAÇÃO é uma alternativa nociva já que nenhum dos lados tem suas reivindicações plenamente percebidas atendidas. A terceira solução é a solução ideal proposta por ela, que é a INTEGRAÇÃO, que parte do pressuposto que o conflito existe porque demandas não são atendidas, e essas demandas não devem ser suprimidas, e sim supridas.


Follett diz que as potencialidades do indivíduo permanecem latentes até que elas sejam liberadas pela vida em grupo. Contruir um grupo, saber criar e coordenar equipes interdisciplinares são hoje pontos fundamentais para o sucesso de um projeto, por este motivo, indivíduos e gestores precisam compreender o poder das vizinhanças, o poder do networking, o poder dos grupos de relacionamento.


Follett morreu no Reino Unido em 1933, sete anos depois da morte de sua companheira Isobel Briggs com qual viveu  por mais de 30 anos.

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Realmente impressiona a atualidade dos conceitos desenvolvidos por Mary Follett. Nos últimos cinquenta anos o Brasil tem investido fortemente em novas formas de solução de conflitos, para enfrentar as limitações do sistema judicial e, ao mesmo tempo, estimular a autonomia e capacidade que cada um de nós possui de resolver cosntrutiva e colaborativamente as controvérsias que surgem no dia-a-dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Admiro a obra de Mary Parker Follett e o livro dela publicado em 1918 chamado The New State: Group Organization the Solution of Popular Government nunca foi traduzido para o português. A não ser algumas passagens que foram publicadas pela Fundação Peter Drucker. Uma pena,pois o livro é de uma delicadeza sobre a Democracia, estudo de grupos, conflitos. Que bom que aprecia também. Abraço e obrigada pelo comentário.

      Excluir
  3. Regina boa noite, estou realizando um artigo científico sobre "gestão de pessoas", tema o qual muito me interesso,devido minha atividade profissional, e fico impressionado com a atualidade de conceitos definidos a cem anos atrás. Grande desafio das organizações contemporâneas está na harmonia e motivação de suas equipes.Os gestores que destinarem um tempo para estudar conceitos e reflexões de Mary Parker Follet, com certeza, terão mais facilidade para atingir seus objetivos. Parabéns pelo artigo. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mary Parker Follett foi uma grande estudiosa da Gestão de Pessoas. O livro dela "The new State - The government popular" está inteiro na Internet. É uma beleza, muito bem escrito. Pena que nunca foi traduzido na íntegra para o português.

      Excluir
  4. Una visão filosófica prática para o mundo capitalista. Saber viver comunitariamente, explorando os relacionamentos de modo sadio e produtivo. Pe título da sua obra "The new State" (O Estado novo), não li
    mas imagino a sua proposta... De antemão, acho que altamente viável.

    ResponderExcluir
  5. Prezado myksz, o livro The New State da Mary Parker Follett encontra-se disponível na Internet. Vale a pena ler. Obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Regina preciso de saber qual foi o ano que Follet fez essa citação ''A primeira solução seria a DOMINAÇÃO onde somente um dos lados terá suas exigências atendidas, e assim, o conflito será sufocado. A segunda solução diz que os dois lados cederão e um meio-termo será adotado como solução. A CONCILIAÇÃO é uma alternativa nociva já que nenhum dos lados tem suas reivindicações plenamente percebidas atendidas. A terceira solução é a solução ideal proposta por ela, que é a INTEGRAÇÃO, que parte do pressuposto que o conflito existe porque demandas não são atendidas, e essas demandas não devem ser suprimidas, e sim supridas'' Estou fazendo um referencial teorico e preciso do ano para fazer a citação. Se poder me ajudar agradeço . Abraços

    ResponderExcluir
  7. Este não é um livro de Follett, ele foi editado pela RJ: Qualitymark, 1997, com 316 p. O livro chama-se Profeta do Gerenciamento - Graham, Pauline. Está indisponível no Mercado.

    ResponderExcluir